A interface Física-Literatura: Proposição de uma ferramenta didática mediante uso de indicadores

Proposición de una herramienta didáctica mediante el uso de indicadores

  • Luís Gomes Lima Universidade de São Paulo

Resumen

Este artículo tiene el objetivo de proporcionar una herramienta teórica y didáctica-metodológica por medio de indicadores de uso que sean capaces de facilitar la aplicación de proposiciones didácticas que se interesen por las relaciones entre la física y la literatura. La herramienta didáctica, dada por el uso de Indicadores de la Interfaz Física-Literatura es desarrollada con alumnos de licenciatura de física en una institución de enseñanza superior federal brasileña, en disciplina específica y aplicada por éstos en clases de práctica supervisada. Los resultados apuntan a la validación de la herramienta, constituyéndose como un instrumento didáctico prometedor a los profesores de física que deseen ampliar la enseñanza ofrecida a sus alumnos.

Citas

ALEXANDER, P. A., and KULIKOWICH, J. M. (1994) Learning from physics text: a synthesis of recent research. Journal of Research in Science Teaching, v. 31, n. 9, p. 895-911.
ALMEIDA, M. J. P. M. (1998). O texto escrito na educação em física: enfoque na divulgação científica. In: ALMEIDA, Maria José P. M e SILVA, Henrique César da (orgs.). Linguagens, leituras e ensino da ciência, 53-68. Campinas, São Paulo: Mercado de Letras.
ALMEIDA, M. J. P. M., e QUEIROZ, E. C. L. (1997). Divulgação Científica e Conhecimento Escolar: Um Ensaio Com Alunos Adultos. Cadernos do CEDES, v. 41, p. 62-68. Universidade de Campinas (UNICAMP). Campinas, São Paulo, Brasil.
ALMEIDA, M. J. P. M., e RICON, A. E. (1993). Divulgação Científica e Texto Literário - Uma Perspectiva Cultural em Aulas de Física. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 10, n.1, 7-13, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.
BAKER, L., and SAUL, W. (1994). Considering science and language arts connections: a study of teacher cognition. Journal of Research in Science Teaching, v. 31, n. 9, p. 1023-1037.
BARBOSA-LIMA, M. C., e CARVALHO, A. M. P. (2003). Linguagem e o ensino de física na escola fundamental. Cad. Bras. Ens. Fís., v.20, n.1, p. 86-97.
CLARKE, A. (2011). Encontro com Rama. São Paulo: Aleph.
CORRALLO, M. V., LIMA, L. G., e RICARDO, E. C. (2016). Física e literatura: Quasimodo, o corcunda de Notre Dame em uma aula de ondulatória para o ensino médio. XVI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Rio Grande do Norte, Natal, Brasil. Recuperado de https://sec.sbfisica.org.br/eventos/enf/2016/sys/resumos/T0499-2.pdf.
DUVAL, R. (1993). Registres de représentation sémiotique et fonctionnement cognitif de la pensée. Annales de Didactique et de Sciences Cognitives. 37- 64. Strasbourg: IREM - ULP.
DUVAL, R. (1995). Sémiosis et pensée humaine: registres sémiotiques et apprentissageges intellectuels. Suisse: Peter Lang.
FELLOWS, N. J. (1994). A window into thinking: using student writing to understand conceptual change in science learning. Journal of Research in Science Teaching, v. 31, n. 9, p. 985-1001.
FERREIRA, J. C. D., e RABONI, P. C. A. (2013). A ficção científica de Júlio Verne e o ensino de Física: uma análise de “Vinte Mil Léguas Submarinas”. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 30, n. 1, 84-103. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/2175-7941.2013v30n1p84.
GASKINS, I. W., GUTHRIE, J. T., SATLOW, E., OSTERTAG, J., SIX, L., BYRNE, J., and CONNOR, B. (1994). Integrating instruction of science, reading, and writing: goals, teacher development, and assessment. Journal of Research in Science Teaching, v. 31, n. 9, p. 1039-1056.
GERALDI, J. W. Prática de Leitura na Escola (2006). In: GERALDI, J. W. (Org.). O texto na sala de aula. 88-103. Campinas, São Paulo: Ática.
GLEISER, M. (1997). A dança do universo: dos mitos de criação ao big-bang. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras.
GLYNN, S. M., and MUTH, K. D. (1994). Reading and writing to learn science: Achieving scientific literacy. Journal of Research in Science Teaching, v. 31, n. 9, 1057-1073.
GUERRA, A., e MENEZES, A. M. S. (2009). Literatura na física: uma possível abordagem para o ensino de ciências? Atas do VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.
HARRISON, A. G., and TREAGUST, D. F. (1993). Teaching with analogies: A case study in grade-10 optics. Journal of Research in Science Teaching, v.30, 1291-1307.
HARRISON, A. G., TREAGUST, D. F. (1994). Science analogies. The Science Teacher, v. 61, 40-43.
HOLLIDAY, G, W., YORE, L, D., and ALVERMANN, D, E. (1994). The reading–science learning–writing connection: Breakthroughs, barriers, and promises. Journal of Research in Science Teaching, v. 31, n. 9, 877-893.
HOLLIDAY, G. W., YORE, L. D., and ALVERMANN, D. E. (1994). The reading – science learning – writing connection: Breakthroughs, barriers, and promises. Journal of Research in Science Teaching, v. 31, n. 9, 877-893.
HYND, C. R., MCWHORTER, J. Y., PHARES, V. L., and SUTTLES, C. W. (1994). The role of instructional variables in conceptual change in high school physics topics. Journal of Research in Science Teaching, v. 31, n. 9, 933-946.
KEYS, C. W. (1994). The development of scientific reasoning skills in conjunction with collaborative writing assignments: An interpretive study of six ninth-grade students. Journal of Research in Science Teaching, v. 31, n. 9, 1003-1022.
LAWSON, D. I., and LAWSON, A. E. (1993). Neural principles of memory and a neural theory of analogical insight. Journal of Research in Science Teaching, v. 30, n. 10, 1327-1348.
LIMA, L. G. (2012). O estudo do Movimento Retilíneo Uniforme dos corpos através da leitura de trechos da 2ª Jornada do livro Diálogo Sobre os Dois Máximos Sistemas do Mundo Ptolomaico e Copernicano, de Galileu Galilei. Revista Física na Escola, v. 13, n. 1, 24-29. Recuperado de http://www1.fisica.org.br/fne/phocadownload/Vol13-Num1/a081.pdf.
LIMA, L.G., e RICARDO, E. C. (2015a). A Literatura como Ferramenta Didática no Ensino de Mecânica Quântica para o Ensino Médio. Atas do XXI SNEF, Simpósio Nacional de Ensino de Física. Uberlândia, Minas Gerais, Brasil. Recuperado de http://www.sbf1.sbfisica.org.br/eventos/snef/xxi/sys/resumos/T0754-1.pdf.
LIMA, L. G., e RICARDO, E. C. (2015b). Física e Literatura: uma revisão bibliográfica. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 32, n. 3, 577-617. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/2175-7941.2015v32n3p577.
LIMA, M. C. B., BARROS, H. L., e TERRAZAN, E. A. (2004). Quando o sujeito se torna pessoa: uma articulação possível entre Poesia e ensino de Física. Ciência & Educação, v. 10, n. 2. Bauru, São Paulo, Brasil.
LOBATO, M. Serões de Dona Benta (1994), 110p. São Paulo: Brasiliense.
MACHI, F., e LEITE, C. (2010). A leitura no ensino de física no cenário dos periódicos nacionais. Atas do XII EPEF, Encontro de Pesquisa em Ensino de Física. Águas de Lindóia, São Paulo, Brasil
MARICONDA, P. R. (2004). Diálogo sobre os dois máximos sistemas do mundo Ptolomaico e Copernicano. 2ª edição. São Paulo: Imprensa Oficial.
MARTINS, R. A. (1998a). Como distorcer a física: considerações sobre um exemplo de divulgação científica 1 - Física Clássica. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v.15, n.3, 243-264, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/6886.
MARTINS, R. A. (1998b). Como distorcer a física: considerações sobre um exemplo de divulgação científica 2 - Física moderna. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 15, n. 3, 265-300. Florianópolis, Santa Catarina Brasil. Recuperado de https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/6887.
MARTINS, R. A. (2000). Arquimedes e a coroa do rei: problemas históricos. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 17, n. 2, 115-121Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.
MECKE, K. R. (2004). A Imagem da Literatura na Física. Gazeta de Física. Recuperado http://www.theorie1.physik.uni-erlangen.de/mecke/publ.html.
MOEBUS, R., e MARTINS, I. (2013). Leitura e Alfabetização Científica nas Aulas de Ciências: Uma Revisão de Artigos Publicados entre 2008 e 2012. Atas do IX ENPEC, Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Águas de Lindóia, São Paulo, Brasil.
NORRIS, S. P., and PHILLIPS, L. M. (1994). Interpreting pragmatic meaning when reading popular reports of science. Journal of Research in Science Teaching, v. 31, n. 9, 947-967.
NORRIS, S. P., GUILBERT, S. M., PHILIPS, L. M., SHAHRAM, H., and SMITH, M. L. (2005). A theoretical framework for narrative explanation in science. Science Education, v. 89, n. 4, 535- 563.
PEREIRA, J. M., e LONDERO, L. (2013). O ensino de partículas elementares por meio da leitura de “Alice no País do Quantum”. Atas do XX Simpósio Nacional de Ensino de Física. São Paulo, Brasil. Recuperado de http://www.sbf1.sbfisica.org.br/eventos/snef/xx/programa/trabalhos.asp?sesId=5.
PESSOA JÚNIOR, O. (1996). Quando a Abordagem Histórica deve ser usada no Ensino de Ciências? Revista Ciência e Ensino, v.1.
PIASSI, L. P., e PIETROCOLA, M. (2007). Quem conta um conto aumenta um ponto também em física: contos de ficção científica na sala de aula. Atas do XVII SNEF, Simpósio Nacional de Ensino de Física. São Luís, Maranhão, Brasil.
PIETROCOLA, M., POGIBIN, A., ANDRADE, R., e ROMERO, T. R. (2011). Física em contextos: pessoal, social e histórico, v.1, 2 e 3. São Paulo: FTD.
PUGLIESE, R. M. O trabalho do professor de Física no ensino médio: um retrato da realidade, da vontade e da necessidade nos âmbitos socioeconômico e metodológico (2017). Ciênc. educ. Bauru, vol. 23, n.4, 963-978.
RICON, A. E., e ALMEIDA, M. J. P. M. (1991). Ensino da Física e Leitura. Leitura: Teoria & Prática, v. 10, n.18, p. 7-16, Campinas, São Paulo, Brasil.
RIVARD, L. O. P. (1994). A review of writing to learn in science: implications for practice and research. Journal of Research in Science Teaching, v. 31, n. 9, 969-983.
SILVA, A. C., ALMEIDA, M. J. P. M. (2013). Uma Leitura de Divulgação Científica sobre Ressonância Magnética no Ensino Médio. Atas do IX ENPEC, Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Águas de Lindóia, São Paulo, Brasil.
SILVA, A. C., ALMEIDA, M. J. P. M. (2013). Uma leitura de divulgação científica sobre ressonância magnética no ensino médio. Atas do IX ENPEC, Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Águas de Lindóia, São Paulo, Brasil.
SILVA, A. C., ALMEIDA, M. J. P. M. (2014). A leitura por alunos do ensino médio de um texto considerado de alto grau de dificuldade. Alexandria, v. 7, 49-73.
SILVA, E. T. (1998). Ciência, leitura e escola. In: ALMEIDA, Maria José P. M. de; SILVA, Henrique César da (orgs.). Linguagens, Leituras e Ensino da Ciência. 121-130. Campinas: Mercado de Letras.
SILVA, M. S., e RIBEIRO, D. M. S. (2012). Ensino de Física no Sertão: Literatura de cordel como ferramenta didática. Revista Semiárido de Visu, v.2, n.1, 231-240, 2012. Recuperado de https://periodicos.ifsertao-pe.edu.br/ojs2/index.php/revista/article/view/61.
SNOW, C. P. As duas culturas e uma segunda leitura: Uma versão ampliada das duas culturas e a revolução científica (1995). São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo.
SPIEGEL JUNIOR, G. F., and BARUFALDI, J. P. (1994). The effects of a combination of text structure awareness and graphic postorganizers on recall and retention of science knowledge. Journal of Research in Science Teaching, v. 31, n. 9, 913-932.
STRACK, R., LOGUÉRCIO, R., e DEL PINO, J. C. (2009). Percepções de professores de ensino superior sobre a literatura de divulgação científica. Ciênc. Educ. Bauru, v. 15, n. 2, p. 425-442.
STRATHERN, P. (2000). Curie e a Radioatividade em 90 minutos. Rio de Janeiro: Zahar.
TERRAZZAN, E. A., AMORIM, M. A. L., PIMENTEL, N. L., FELTRIN, C., DIAS, D. S., FERRAZ, D. F., SILVA, L. L., POZZER, L. L., e GIRALDI, P. M. (2000). Analogias no ensino de ciências: resultados e perspectivas. Atas do III Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul. Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil.
TERRAZZAN, E. A., FELTRIN, C. C. (2000). Analogias em aulas de física: exemplos em eletricidade e óptica. Atas do VII EPEF, Encontro de Pesquisa em Ensino de Física. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.
VIERNE, S. (1994). Ligações tempestuosas: A ciência e a literatura. In: CORBOZ, A. et. al. Ciência e imaginário. Brasília: Editora UnB.
VYGOTSKY, L.S. (2008). Pensamento e Linguagem. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2008.
WELLEK, R., and WARREN, A. (1962). Teoria da literatura. Tradução: José Palla e Carmo. Lisboa: Publicações Europa-América.
ZANETIC, J. (1989). Física Também é Cultura. (Tese de doutorado). Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.
ZANETIC, J. (2006). Física e literatura: construindo uma ponte entre as duas culturas. Hist. cienc. Saúde-Manguinhos, v.13, 55-70. Recuperado de https://dx.doi.org/10.1590/S0104-59702006000500004.
ZANETIC, J. (2006). Física e Arte: uma ponte entre duas culturas. Pro-Posições, v. 17, n. 1, 39-58. Universidade de Campinas, São Paulo, Brasil.
ZILBERMAN, R. (2012). Teoria da Literatura I. Curitiba: Editora IESDE.
Publicado
2020-05-27
##submission.howToCite##
LIMA, Luís Gomes. A interface Física-Literatura: Proposição de uma ferramenta didática mediante uso de indicadores. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, [S.l.], v. 19, n. 2, p. 384-406, mayo 2020. ISSN 1579-1513. Disponible en: <http://revistas.educacioneditora.net/index.php/REEC/article/view/229>. Fecha de acceso: 29 oct. 2020

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

##plugins.generic.recommendByAuthor.noMetric##